SpaceX lança foguete Falcon 9 com dois satélites de Internet O3b – Spaceflight Now

Assista à cobertura ao vivo da contagem regressiva e lançamento do foguete Falcon 9 carregando dois satélites de Internet O3b mPOWER na sexta-feira, 28 de abril. A SpaceX tentou lançar um foguete Falcon Heavy mais tarde naquela noite, mas a contagem regressiva foi cancelada no último minuto. Antes de sair. Siga-nos Twitter.

Um foguete SpaceX Falcon 9 decolou da Estação da Força Espacial de Cabo Canaveral na noite de sexta-feira para a SES com um par de satélites de Internet O3b, mas uma parada de última hora para uma missão Falcon Heavy no final da noite impediu a empresa de realizar o lançamento duplo. .

Um lançamento de foguete Falcon 9 do Pad 40 em Cabo Canaveral – a primeira das missões consecutivas – envia o segundo par de satélites da Boeing ao espaço para a rede O3b mPOWER da SES. Operadoras de telecomunicações e serviços de conectividade móvel.

Três milhas e meia ao norte, a SpaceX está preparando um foguete Falcon Heavy, composto por três propulsores Falcon 9 de primeiro estágio, para entrar em órbita a mais de 20.000 milhas (cerca de 35.000 quilômetros) de altura. O Viasat 3 é um satélite de banda larga Equator with Americas fabricado pela Boeing.

Os meteorologistas previram um clima duvidoso na noite de sexta-feira para ambos os lançamentos, mas a SpaceX aproveitou as condições climáticas favoráveis ​​para tirar o Falcon 9 do solo na noite de sexta-feira na missão O3b mPOWER. O lançamento do Falcon Heavy estava agendado para quinta-feira à noite, mas a SpaceX atrasou o voo em 24 horas devido ao mau tempo que afetou a Costa Espacial da Flórida.

Se ambos os lançamentos decolarem conforme programado, será o menor intervalo entre duas missões da SpaceX na história da empresa e a menor parada entre dois lançamentos da classe orbiter de Cabo Canaveral desde 1966.

Equipes de lançamento separadas da SpaceX supervisionarão as contagens quase simultâneas do Falcon 9 e do Falcon Heavy.

READ  Especialistas da OMS revisam conselhos sobre vacinas contra Covid-19 e dizem que o risco é menor para crianças e adolescentes saudáveis
Um foguete Falcon 9 (esquerda) está no Pad 40 na Estação da Força Espacial de Cabo Canaveral para decolagem com dois satélites de Internet O3b mPOWER. Ao fundo, um Falcon Heavy Pad 39A representa a decolagem da missão Viasat 3 Americas. Crédito: SpaceX

Lançados do Pad 40 em um foguete Falcon 9, os satélites O3b mPOWER fornecerão serviços de Internet de alta velocidade em todo o mundo com uma conexão “semelhante a fibra” para usuários entre 50 graus de latitude norte e sul, com base no SES, Luxemburgo-O3b plataforma de propriedade da frota. Aviões, navios de cruzeiro, empresas de energia, institutos de pesquisa e comunidades remotas podem ficar conectados usando a rede O3b.

As duas espaçonaves O3b no foguete Falcon 9, combinadas, pesam cerca de 9.000 libras (4.100 quilos) no sistema de lançamento, de acordo com a Boeing. O primeiro estágio do Falcon 9 pousou a bordo de um drone no Oceano Atlântico nove minutos depois de embarcar na missão O3b na sexta-feira.

A SES já possui 20 satélites O3b de primeira geração em órbita terrestre média. Eles voaram para o espaço em foguetes russos Soyuz sob um contrato de serviço de mísseis com a Arianebase.

Os novos satélites O3b mPOWER, como os satélites O3b originais, operarão em uma Órbita Terrestre Média, ou MEO, acima do equador. Os dois primeiros satélites O3b mPOWER foram lançados em um foguete Falcon 9 de Cabo Canaveral em dezembro.

O3b significa “os outros 3 bilhões” para reconhecer os bilhões de pessoas que não têm acesso a um serviço confiável de Internet.

SpaceX lança foguete Falcon 9 com dois satélites de Internet O3b – Spaceflight Now
Dois satélites O3b mPOWER, frota no. 3 e 4, o foguete Falcon 9 da SpaceX é empilhado na estrutura da plataforma de lançamento antes de ser preso à carenagem de carga útil. Crédito: SpaceX/SES

Os satélites O3b originais, construídos há quase uma década pela Thales Alenia Space, tinham 10 feixes de usuários por espaçonave. Os novos satélites O3b mPOWER, construídos na plataforma da espaçonave 702 da Boeing, cada um tem mais de 4.000 feixes que podem ser ajustados para focar a largura de banda em áreas de alta demanda.

A SES está focada no desenvolvimento de satélites de banda larga para a constelação MEO, que coloca estações retransmissoras mais próximas da Terra do que em órbita geoestacionária, 22.000 milhas acima do planeta. Isso reduz o atraso ou atraso nos sinais da Internet em comparação com os satélites geoestacionários. Apenas três satélites geoestacionários podem fornecer cobertura global, mas mais satélites no MEO devem alcançar todo o mundo.

READ  A NASA lançou um novo mapa dos próximos eclipses solares

Mas esse número ainda é muito menor do que as centenas ou milhares de satélites de Internet que empresas como SpaceX e OneWeb estão enviando para a órbita baixa da Terra. Os satélites que voam a menos de 1.000 milhas acima da Terra têm latência menor do que os satélites MEO, mas requerem muito mais espaçonaves para cobertura global.

O Falcon Heavy está pronto para seu sexto voo comercial para GEO

A missão Falcon Heavy será o sexto lançamento do foguete Falcon Heavy da SpaceX desde 2018, e o segundo de cinco voos do Falcon Heavy que a empresa planeja para este ano. Este será o primeiro lançamento do Falcon Heavy em que a SpaceX descarta intencionalmente todos os três boosters do primeiro estágio. A SpaceX dedica todos os propulsores do foguete para colocar o satélite Viasat 3 Americas de aproximadamente 6 toneladas métricas (13.000 libras) e seus dois co-passageiros em órbita quase geossíncrona (GEO).

A missão levará cerca de quatro horas e meia para atingir sua órbita alvo, exigindo três queimas pelo motor do estágio superior. A inserção direta em órbita geossíncrona é um dos tipos de missão mais desafiadores na indústria de veículos lançadores. Maior duração da bateria é necessária na parte superior do perfil, e o foguete requer uma faixa personalizada de tinta térmica cinza para garantir que o querosene não congele durante as horas passadas no ambiente frio do espaço.

A Viasat não divulgou quanto a SpaceX pagou pelo lançamento. Funcionários da Intelsat disseram no ano passado que a SpaceX cobrou um prêmio por lançamento onde o booster foi gasto.

O núcleo central é totalmente novo para a missão ViaSat 3 Americas, enquanto os propulsores laterais são reutilizados de missões anteriores da SpaceX.

READ  Gestor de fortunas da China, Zhongzhi, sinaliza falência e dívidas de US$ 64 bilhões

O ViaSat 3 Americas é o primeiro de três satélites de banda larga de nova geração para a Viasat a fornecer sinais de Internet a consumidores, empresas e governos carentes. Com sede em Carlsbad, Califórnia, a Viasat tem contratos com a Delta Air Lines, American Airlines, United Airlines, Southwest Airlines, JetBlue e outras companhias aéreas comerciais para fornecer WiFi a bordo aos passageiros.

O satélite ViaSat 3 Americas dentro da fábrica da Boeing em El Segundo, Califórnia. Crédito: Boeing

O satélite é tão grande quanto um ônibus escolar e seus painéis solares se expandirão em órbita para gerar mais de 30 quilowatts de energia.

A espaçonave possui um dos maiores refletores de antena já enviados ao espaço e contará com propulsão totalmente elétrica para melhores manobras orbitais e manutenção da estação. Após a separação do foguete Falcon Heavy, a espaçonave usará seus propulsores de plasma para elevar sua órbita para as 700 milhas finais (1.100 quilômetros) em órbita geoestacionária, onde sua velocidade corresponderá à taxa de rotação da Terra.

Isso permitirá que a espaçonave Viasat 3 Americas orbite a mesma posição geográfica no equador a 88,9 graus de longitude oeste, fornecendo cobertura sobre as Américas do Norte e do Sul e oceanos adjacentes. Dois satélites, Viasat e Boeing, estão trabalhando para fornecer serviços de internet semelhantes na Europa, Norte da África e Oriente Médio e na região da Ásia-Pacífico.

Pequenos satélites de comunicação de carona para Astranis e Gravity Space, ambas startups comerciais, entrarão em órbita a bordo de um foguete Falcon Heavy.

O satélite da Astronis, chamado Arcturus, com uma massa de lançamento de cerca de 660 libras (300 libras), fornecerá serviços de Internet de banda larga para o Alasca. O microssatélite da Gravity Space permitirá que uma empresa indonésia retenha direitos regulatórios para um slot orbital com a União Internacional de Telecomunicações em órbita geoestacionária, que fornece posições geoestacionárias para operadoras de satélites comerciais.

E-mail do autor.

Siga Stephen Clarke no Twitter: @Stephen Clark1.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *