Investigação de documentos de Trump desencadeia confronto no tribunal de apelações

O ex-presidente Donald J. A investigação do procurador especial sobre o manuseio de documentos classificados por Trump desencadeou uma batalha legal nos bastidores, com um tribunal federal de apelações pronto para examinar se os promotores forneceram evidências suficientes de um crime. Espera-se que os advogados de Trump testemunhem perante um grande júri e forneçam documentos relacionados ao seu trabalho para o ex-presidente.

Em uma ordem na terça-feira, o Tribunal de Apelações dos EUA para o Distrito de Columbia emitiu uma suspensão temporária da decisão de um tribunal inferior na semana passada que teria permitido que as afirmações do privilégio advogado-cliente penetrassem e M. Permitindo que Evan Corcoran se comprometesse. Para responder a perguntas perante o grande júri, o Sr. Representa Trump.

Senhor. Os advogados de Trump na terça-feira buscaram uma liminar provisória, a juíza de primeira instância Beryl A. Eles pediram ao tribunal de apelações que suspendesse a decisão de Howell.

Em seu pedido na sexta-feira, o juiz Howell, que atua no tribunal distrital federal em Washington, disse que o Sr. Senhor. disse Corcoran. Com conhecimento sobre o assunto.

A ordem do tribunal de apelações concedendo a liminar suspendeu a decisão do Sr. Howell. Continha uma dica do que os advogados de Trump estavam tentando realizar.

Senhor. Os advogados de Trump foram solicitados a apelar da ordem. Senhor. O apelo de Trump visa, pelo menos em parte, anular a parte da decisão do juiz Howell que forçou Corcoran a entregar materiais escritos aos advogados que julgam o caso.

READ  Caminho do Prêmio Tony ainda indeciso após reunião do comitê hoje - prazo

Como em todos os assuntos envolvendo um grande júri, os pedidos de apelação foram arquivados sob sigilo, e o Sr. Não há referência geral a Corcoran ou qualquer questão subjacente no caso. Definindo uma agenda extraordinariamente ocupada, o tribunal de apelação emitiu uma ordem de restrição às 6h de quarta-feira. Ele ordenou que o governo respondesse ao pedido de Trump. Os advogados concordaram e apresentaram uma petição de 6.455 palavras antes do amanhecer.

Senhor. O caso em torno de Corcoran é importante porque se concentra em uma disposição da lei conhecida como exceção de fraude de responsabilidade civil, que permite aos promotores contornar o privilégio advogado-cliente de acreditar que foram usados ​​conselhos ou serviços jurídicos. No cometimento de um delito.

Os advogados do escritório do procurador especial, Jack Smith, perguntaram ao juiz Howell no mês passado, citando a exceção de crime de fraude, que o Sr. Para obrigar Corcoran a retornar ao grande júri, o Sr. Eles também pediram que ele respondesse a mais perguntas sobre seu trabalho para Trump. Em sua primeira aparição no grande júri, o Sr. Corcoran recusou.

Senhor. Em sua decisão de enviar Corcoran de volta ao grande júri, o juiz Howell disse que o Sr. Ele descobriu que o escritório de Smith atingiu o limite para reivindicar a exceção de crime de fraude. No entanto, não está claro qual crime o juiz Howell acredita ter sido cometido – ou quem pode tê-lo cometido.

ABC News relatou Na terça-feira, o juiz Howell, em sua decisão na semana passada, disse que o Sr. Trump, Sr. Ele disse que os promotores produziram evidências “suficientes” para mostrar que ele “ocultou intencionalmente” a existência de documentos confidenciais adicionais de Corcoran.

Senhor. A campanha de Trump rapidamente revidou, divulgando um comunicado dizendo: “Que vergonha para a ABC de notícias falsas por divulgar falsas alegações vazadas ilegalmente contra a equipe jurídica de Trump do agora ex-chefe de justiça Never Trump.”

Entre os assuntos investigados pelo Judiciário desde o ano passado, o Sr. Se Trump ou seus associados obstruíram a justiça depois que ele deixou o cargo e exigiram repetidamente a devolução de itens do governo que ele levou da Casa Branca. Centenas de documentos com identidades classificadas.

Em maio, o Sr. Antes de Smith assumir a investigação, os promotores federais ainda queriam que o Sr. Eles emitiram uma intimação para documentos confidenciais em posse de Trump – uma ação que ocorreu depois que ele entregou voluntariamente um conjunto inicial de registros ao Arquivo Nacional. Inclui cerca de 200 documentos classificados.

Em resposta à intimação, o Sr. Corcoran se reuniu com investigadores federais em junho e deu a eles outro lote de documentos, mais de 30 dos quais continham informações sigilosas. Ele então preparou um relatório para o Departamento de Justiça para outro advogado, o Sr. O clube e a residência de Trump na Flórida, Mar-a-Lago, foram “completamente revistados” e nenhum item classificado foi encontrado.

Em agosto, agentes do FBI revistaram Mar-a-Lago armados com um mandado. Em busca, o Sr. Três documentos sigilosos foram encontrados em mesas do escritório de Trump, sendo mais de 100 documentos em 13 caixas ou contêineres com marcas de classificação na residência, alguns nos níveis mais restritos.

READ  Um redemoinho estranho aparece entre as luzes do norte no céu noturno do Alasca

Em junho o Sr. Cerca de três semanas após o encontro com os investigadores de Corcoran, os promotores federais emitiram outra intimação – desta vez para imagens de vigilância de uma câmera perto de um depósito em Mar-a-Lago. Senhor. escritório de Smith, Sr. No momento em que a intimação para o vídeo foi emitida, o Sr. Seu telefonema com Trump, disse uma pessoa familiarizada com o assunto.

Os promotores estão interessados ​​em dois homens flagrados em imagens de vigilância movendo caixas de um depósito em Mar-a-Lago, segundo duas pessoas familiarizadas com o assunto. O assessor da Casa Branca, Valdyne Nauta, estava entre os que foram trabalhar para Trump na Flórida. O outro é trabalhador em Mar-a-Lago.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *