Filipinas, Taiwan e Malásia rejeitam o mais recente mapa do Mar do Sul da China da China

As Filipinas, a Malásia, Taiwan e o Vietname rejeitaram o mapa como infundado, marcando a reivindicação da China à soberania sobre o Mar do Sul da China.

Ted Aljibe | Afp | Boas fotos

As Filipinas, a Malásia, Taiwan e o Vietname rejeitaram como infundado um mapa divulgado pela China que representa as suas reivindicações de soberania, incluindo o Mar da China Meridional, e que Pequim disse na quinta-feira que deveria ser visto como racional e objetivo.

A China divulgou na segunda-feira um mapa da famosa linha em forma de U que cobre cerca de 90% do disputado Mar da China Meridional, uma das vias navegáveis ​​mais disputadas do mundo, através da qual ocorrem mais de 3 biliões de dólares em comércio todos os anos.

As Filipinas apelaram na quinta-feira à China para “agir de forma responsável e cumprir as suas obrigações” ao abrigo do direito internacional e declararam que o imposto não tem base legal ao abrigo de uma decisão arbitral de 2016.

A Malásia disse ter apresentado um protesto diplomático sobre o mapa.

A China diz que a linha é baseada em seus mapas históricos. Não ficou imediatamente claro se o mapa mais recente representa alguma nova reivindicação ao território.

A linha em forma de U da China serpenteia 1.500 km (932 milhas) ao sul da ilha de Hainan e atravessa as zonas econômicas exclusivas (ZEE) do Vietnã, Filipinas, Malásia, Brunei e Indonésia.

“Esta última tentativa de legitimar a soberania e jurisdição da China sobre as características e zonas marítimas das Filipinas não tem base no direito internacional”, afirmou o Ministério das Relações Exteriores das Filipinas.

O seu representante malaio disse num comunicado que o novo mapa não tem jurisdição sobre a Malásia, que “vê o Mar da China Meridional como um assunto complexo e sensível”.

READ  Ações da Apple sobem após recuperação do iPhone e estimativas superam vendas

O mapa difere de uma versão mais estreita da chamada “linha de nove traços” do Mar do Sul da China que a China apresentou às Nações Unidas em 2009.

O mapa mais recente tem uma área geográfica mais ampla e uma linha com 10 linhas que inclui Taiwan governada democraticamente, semelhante ao mapa da China de 1948. A China também lançou um mapa de linhas de 10 traços em 2013.

Questionado sobre o mapa mais recente, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Taiwan, Jeff Liu, disse que Taiwan “absolutamente não faz parte da República Popular da China”.

“Não importa o quanto o governo chinês distorça a sua posição sobre a soberania de Taiwan, não pode mudar a verdade objectiva da existência do nosso país”, disse ele numa conferência de imprensa.

A China está atualmente na “Semana Nacional de Promoção da Conscientização sobre Mapas”, disse a emissora estatal China Central Television na terça-feira.

Questionado sobre por que a China divulgou o mapa mais recente com 10 linhas em comparação com nove, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin, disse que Pequim foi vaga sobre seu território.

“A posição da China sobre a questão do Mar do Sul da China sempre foi clara. As autoridades competentes da China continuam a atualizar e publicar vários tipos de mapas padrão todos os anos”, disse ele em um briefing regular.

“Esperamos que as partes envolvidas possam olhar para isso de forma objetiva e racional”.

Na noite de quinta-feira, o Ministério das Relações Exteriores do Vietnã disse que as reivindicações da China baseadas no mapa não tinham mérito e violavam as leis vietnamitas e internacionais.

READ  Nova York acorda com a maior nevasca da temporada

O Vietname “rejeita firmemente quaisquer alegações baseadas nas linhas de demarcação da China no Mar do Leste”, disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Pham Tu Hong, num comunicado, referindo-se ao Mar do Sul da China.

Separadamente, Hong disse que as autoridades vietnamitas estavam a tentar esclarecer as alegações de pescadores vietnamitas de que um navio chinês disparou um canhão de água contra o seu barco de pesca no Mar da China Meridional no início desta semana, ferindo dois deles.

“O Vietname opõe-se ao uso da força contra barcos de pesca vietnamitas que operam normalmente no mar”, disse ele num comunicado enviado à Reuters.

A Índia disse na terça-feira que expressou fortes objeções ao novo mapa da China que reivindica o território indiano, o mais recente irritante nos laços tensos entre os gigantes asiáticos.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *