A previsão de férias da Apple decepciona no iPad e na demanda por dispositivos vestíveis; Ás das ações

2 de novembro (Reuters) – A Apple divulgou nesta quinta-feira uma previsão de vendas para o trimestre de férias que ficou abaixo das expectativas de Wall Street, prejudicada pela fraca demanda por iPads e wearables, fazendo com que suas ações caíssem cerca de 3% nas negociações após o expediente.

O presidente-executivo, Tim Cook, insistiu que os novos modelos do iPhone 15 da empresa estão indo bem na China, buscando amenizar as preocupações de Wall Street de que a Apple esteja perdendo participação de mercado para a ressurgente Huawei e outros fornecedores locais de smartphones. Setembro. A receita da Apple na China caiu 2,5% no geral no quarto trimestre fiscal encerrado em 30 de março, embora tenha crescido após contabilizar as taxas de câmbio, disse Cook.

O diretor financeiro, Luca Maestri, disse a analistas em uma teleconferência que as vendas do trimestre atual, que incluiu o feriado de Natal e as enormes vendas da Apple de seus novos modelos de iPhone, foram praticamente as mesmas do ano anterior. Wall Street esperava que as vendas subissem 4,97%, para US$ 122,98 bilhões.

As ações da Apple, que subiram 37% até agora este ano, caíram 3,4% após o expediente, seguindo a previsão.

Maestri disse que a Apple espera maiores vendas do iPhone no primeiro trimestre do ano fiscal, apesar das vendas semanais mais baixas no trimestre de férias deste ano do que no ano passado.

“Eu diria que, por mais confiante que Tim Cook estivesse no desempenho futuro da China, sabemos que existem muitos desafios geopolíticos potenciais nesse mercado”, disse Bob O’Donnell, analista-chefe da Technolysis Research.

A Apple divulgou na quinta-feira vendas e lucro para o quarto trimestre fiscal que superaram as expectativas de Wall Street, com um aumento nas vendas do iPhone e US$ 1 bilhão em receitas de serviços compensando grandes quedas nas vendas de Mac e iPad.

READ  Família de líder de torcida da Flórida é esfaqueada 114 vezes em audiência de sentença

Cook disse que os novos modelos de aparelhos de última geração da empresa, os dispositivos iPhone 15 Pro e Pro Max, estão enfrentando restrições de fornecimento.

A empresa sediada em Cupertino, na Califórnia, navegou melhor na crise global dos smartphones do que os seus rivais, mas enfrenta uma recuperação económica desigual na China, um mercado-chave.

“Acreditamos que os investidores deveriam suspirar de alívio, já que tanto as vendas quanto os lucros foram melhores do que o esperado, a vantagem foi pequena e estávamos preocupados com as vendas fracas da China”, disse Tom Forte, analista da DA Davidson.

A Apple disse que as vendas no último trimestre caíram cerca de 1%, para US$ 89,50 bilhões, mas as estimativas dos analistas eram de US$ 89,28 bilhões, segundo dados do LSEG. O resultado líquido aumentou cerca de 11%. O lucro por ação de US$ 1,46 superou as expectativas dos analistas de US$ 1,39 por ação, de acordo com a LSEG.

A Apple enfrenta forte concorrência no mercado de smartphones este ano, à medida que a Huawei Technologies (HWT.UL) retorna ao campo com novos telefones equipados com chips fabricados na China, depois de ter sido excluída do mercado por anos por sanções comerciais do governo dos EUA.

As vendas da Apple na China caíram para US$ 15,08 bilhões, ante US$ 15,47 bilhões no quarto trimestre do ano passado. Depois de contabilizar as taxas de câmbio, Cook disse que os negócios da Apple na China cresceram ano após ano, impulsionados pelas vendas do iPhone e pelas receitas de serviços.

READ  Siemens supera previsões de receita e afirma que o crescimento das vendas desacelerará em 2024

“Na China continental, tivemos um recorde trimestral no trimestre de setembro para o iPhone”, disse Cook à Reuters. “Temos quatro dos cinco smartphones mais vendidos na China urbana.”

A Apple está “trabalhando duro para produzir mais” dispositivos iPhone 15 Pro e Pro Max, disse Cook. “Até o final deste trimestre, acreditamos que alcançaremos o equilíbrio entre oferta e demanda.”

Por enquanto, o iPhone é o mais vendido da Apple. As vendas do quarto trimestre foram de US$ 43,81 bilhões, em linha com as expectativas dos analistas, segundo dados do LSEG.

“Esperamos que o desempenho (do primeiro trimestre fiscal da Apple) melhore ainda mais, à medida que os problemas de fornecimento dos principais modelos Pro e Pro Max forem resolvidos até então”, disse a analista da ITC Nabila Bhopal. “A procura em todas as regiões continua a favorecer mais modelos premium e esperamos uma proporção ainda maior desses modelos este ano do que no ano passado”, disse ele.

O mercado de PCs também deverá ter um bom desempenho no próximo ano. No início desta semana, a Apple revelou novas máquinas Mac.

No entanto, as vendas de Mac caíram um terço, para US$ 7,61 bilhões, e as vendas de iPad caíram 10%, para US$ 6,44 bilhões, em comparação com US$ 8,63 bilhões e US$ 6,07 bilhões, respectivamente.

As vendas da divisão de wearables da Apple, que inclui Apple Watch e AirPods, caíram 3%, para US$ 9,32 bilhões, abaixo das estimativas de US$ 9,43 bilhões, segundo dados do LSEG.

A Apple enfrentou vários trimestres de queda nas vendas de Macs e iPads e continuou essa tendência no quarto trimestre.

A divisão de serviços da Apple, que inclui o Apple TV+ e recentemente fechou um acordo com o astro do futebol global Lionel Messi, subiu 16%, para US$ 22,31 bilhões, em comparação com estimativas de analistas de US$ 21,35 bilhões.

READ  Os países ricos cortam a ajuda aos choques climáticos, mesmo com o aumento dos riscos

Reportagem de Stephen Nellis em São Francisco e Yuvraj Malik em Bangalore Edição de Sayantani Ghosh, Peter Henderson, Matthew Lewis e Leslie Adler

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Obtenha direitos de licenciamentoAbre uma nova aba

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *