Jorge Santos diz que os legisladores o estão ‘intimidando’ enquanto a votação para destituí-lo fracassa

O deputado George Santos (RN.Y.), um dissidente, disse na quinta-feira que os membros da Câmara o estão “brutalizando” à medida que se aproxima uma votação para expulsá-lo do Congresso, e alertou que uma terceira tentativa de expulsá-lo pode levar à queda se for bem-sucedida. . Muitos mais legisladores estão em jogo.

Em entrevista coletiva, Santos continuou a insistir que nunca renunciaria e acusou o relatório do Comitê de Ética da Câmara – que detalhou as alegações de fraude e violações éticas contra ele – estar incompleto e “desonestamente disperso”.

“A verdade é que é teatro. É teatro para as câmeras, é teatro para os microfones, é teatro para os americanos às custas do povo americano, porque nenhum trabalho real está sendo feito.,”Santos disse enquanto estava em frente ao Capitólio dos EUA em uma manhã fria, cercado por uma multidão de repórteres e câmeras.

O debate está marcado para começar na quinta-feira sobre uma resolução para expulsar Santos do Congresso após a divulgação de um relatório contundente do Comitê de Ética. A votação está prevista para ocorrer na sexta-feira.

O republicano nova-iorquino também enfrenta 23 acusações federais, incluindo fraude, lavagem de dinheiro, falsificação de registros e roubo de identidade agravado.

Se a resolução for aprovada, Santos se tornará o sexto legislador na história dos EUA a ser expulso da Câmara depois de mais de 20 anos. Na quinta-feira, Santos lembrou que foi o primeiro parlamentar dos tempos modernos a ser expulso sem ser condenado por nenhum crime.

“Se o conselho quiser abrir um precedente diferente e me expulsar, isso seria a ruína de muitos membros desta organização”, disse Santos. “Porque isso voltará a assombrar os membros no futuro, quando meras alegações forem suficientes para destituí-los do cargo quando devidamente eleitos pelo povo de seus respectivos estados e distritos”.

READ  Lançamento do SpaceX Axiom-2, Thunder on the Beach: Prepare-se para tráfego intenso

11 das denúncias mais graves do relatório de ética da Câmara contra Santos

Santos disse que planeja apresentar uma resolução para expulsar o deputado Jamal Bowman (DNY), que se confessou culpado no mês passado de acionar um falso alarme de incêndio no prédio de escritórios Cannon House. Em resposta, o líder da minoria na Câmara, Hakeem Jeffries (DNY.), apontou que o Comitê de Ética bipartidário já havia se recusado a investigar Bowman e decidiu que nenhuma ação adicional era necessária.

“Portanto, não há base para George Santos, que é uma piada, uma vergonha e um fraudador em série, avançar com qualquer resolução ou levá-lo a sério”, disse Jeffries aos repórteres na quinta-feira. “Uma pergunta que todos deveríamos fazer é por que Jorge Santos ainda está por aí?”

Santos zombou dos legisladores por transferirem a votação de sua destituição de quinta para sexta.

“Hoje é meu segundo aniversário de casamento e vou aproveitar e tentar esquecer o fato de que foi um ano infernal”, disse Santos.

O presidente da Câmara, Mike Johnson (R-La.), Expressou “ressalvas reais” sobre a moção para expulsar Santos na quarta-feira, mas disse que os legisladores seriam livres para “votar de acordo com sua consciência”.

“Não votamos, não votaremos”, disse Johnson aos repórteres na época.”Espero que as pessoas tomem essa decisão de forma ponderada e de boa fé. Pessoalmente, tenho verdadeiras reservas em fazer isso. Estou preocupado com o precedente.”

Presidente do Comitê de Ética Rep. Um projeto de lei apresentado no início deste mês por Michael Guest (R-Miss.) busca retirar Santos da Câmara. Na noite de terça, outro representante republicano. Anthony D’Esposito (NY), pediu ao convidado que movesse a resolução sob privilégio, o que significa que ela deve ser considerada dentro de 48 horas. Na quinta-feira, Guest criticou Santos por nem mesmo estar “comprometido” com a apresentação de um pedido de privilégio.

READ  Israel concorda em interromper diariamente os ataques a Gaza, mas os EUA dizem que os combates continuam

Novembro. O relatório do comitê de ética, divulgado no último dia 16, acusou Santos de roubar dinheiro de sua campanha, fraudar doadores, criar empréstimos fictícios e praticar práticas comerciais fraudulentas. O relatório alega que Santos utilizou repetidamente fundos para a sua campanha para enriquecimento pessoal, incluindo taxas de spa e pagamento da sua própria dívida de cartão de crédito.

“O deputado Santos tentou explorar fraudulentamente todos os aspectos de sua candidatura à Câmara para seu próprio ganho financeiro. Ele roubou descaradamente de sua campanha. Ele enganou os doadores fazendo-os pensar que eram doações para sua campanha, mas na verdade eram pagamentos para seu benefício pessoal”, o relatório disse.

Segundo a reportagem, Santos teve a oportunidade de apresentar aos investigadores uma declaração por escrito assinada em resposta às alegações, mas não o fez. Santos não respondeu aos pedidos do painel de documentos para testemunhar voluntariamente ou prestar declarações sob juramento. Os investigadores observaram que achavam que qualquer depoimento de Santos teria “baixo valor probatório com base em sua prática admitida de aliciamento”.

Santos se recusou na quinta-feira a entrar em detalhes sobre o relatório, dizendo mais tarde que responderia “linha por linha”. Ele permaneceu firme em sua decisão de não concorrer à reeleição, lembrando a um repórter que tinha apenas 35 anos.

“Isso não significa adeus para sempre”, disse ele.

Mariana Alfaro contribuiu para este relatório.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *