Dezenas de mortos em confrontos em evento beneficente do Ramadã no Iêmen | Notícias sobre Pobreza e Desenvolvimento

A tragédia ocorreu quando centenas de pessoas se reuniram dentro da escola na esperança de receber ajuda de um evento de caridade em Sana’a.

Pelo menos 78 pessoas foram mortas em confrontos em uma escola na capital do Iêmen, Sana’a, dias antes do Eid al-Fitr, de acordo com autoridades Houthi e a mídia.

O acidente ocorreu quando centenas de pessoas se reuniram na quarta-feira em uma escola no distrito de Bab al-Yemen, em Sana’a, na esperança de receber uma doação de cerca de US$ 10, dada por comerciantes para marcar os últimos dias do Ramadã.

Um vídeo postado pela televisão Houthi no aplicativo de mensagens Telegram mostrou uma multidão de pessoas se reunindo, algumas gritando e gritando, sendo arrastadas para um local seguro. O pessoal de segurança afastou as pessoas e lutou para controlar a multidão.

Imagens separadas divulgadas pelos Houthis, que controlam a capital, mostraram manchas de sangue, sapatos e roupas das vítimas espalhadas pelo chão enquanto os investigadores vasculhavam a área.

As testemunhas Abdel-Rahman Ahmed e Yahia Mohsen disseram à Associated Press que Houthis armados atiraram para o ar na tentativa de controlar a multidão, aparentemente atingindo uma linha de energia que a fez explodir e causar pânico entre os espectadores.

No entanto, a Al Jazeera não pôde determinar de forma independente os motivos da repressão.

(Al Jazeera)

Brig Abdel-Khaleq al-Aghri, porta-voz do Ministério do Interior controlado por Houthi, descreveu o incidente como “trágico”, culpando a “distribuição aleatória” de fundos sem coordenação com as autoridades locais.

O ministério informou que dois comerciantes que organizaram o evento foram detidos e estão sendo investigados. Os Houthis anunciaram que pagariam US$ 2.000 em compensação para cada família que perdesse um parente e cerca de US$ 400 para os feridos.

READ  iPhone 15, novo Apple Watch e novos AirPods

Pelo menos 73 dos feridos foram levados ao Hospital Al-Thawrah em Sana’a, de acordo com o vice-diretor do hospital, Hamdan Bagheri, enquanto as famílias corriam para os hospitais em busca de seus entes queridos.

Mohammed al-Attab, da Al Jazeera, relatando de Sana’a, disse que o desastre “despertou indignação nacional”.

Sana’a está sob o controle de Houthi desde que o governo internacionalmente reconhecido do país foi deposto em 2014.

Isso levou à intervenção de uma coalizão liderada pela Arábia Saudita um ano depois.

Mais de 150.000 pessoas, incluindo militantes e civis, morreram no conflito, um dos piores desastres humanitários do mundo.

Mais de 21 milhões de pessoas no Iêmen, ou dois terços da população do país, precisam de assistência e proteção, de acordo com o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *