A polícia queniana começou a exumar restos mortais de supostos cemitérios de cultos cristãos

(CNN) A polícia queniana exumou os corpos de 21 pessoas que se acredita serem seguidores de um culto cristão que acreditava que, se morressem de fome, iriam para o céu.

A polícia perto da cidade costeira de Malindi começou a exumar os corpos na sexta-feira e recuperou sete corpos naquele dia. Eles recuperaram mais 14 corpos no sábado, disse o detetive Charles Kamau à Reuters no domingo.

“Esta praga cruel em nossa consciência fará com que o(s) perpetrador(es) desta atrocidade contra tantas almas inocentes não sejam apenas punidos severamente, mas restrições estritas (incluindo autocontenção) em todas as igrejas, mesquitas, templos ou sinagogas daqui para frente, ” Disse o ministro do Interior, Githure Kindiki.

Ele acrescentou que toda a floresta de 800 acres onde os enterros foram encontrados foi selada e declarada cena de crime.

No início deste mês, a polícia resgatou 15 membros da Good News International Church que frequentavam o local. Quatro deles morreram antes de chegar ao hospital, disse a polícia.

O líder da igreja, Paul Mackenzie, foi preso após uma denúncia de que havia covas rasas pertencentes a pelo menos 31 seguidores de Mackenzie.

A mídia local, citando fontes policiais, disse que McKenzie se recusou a comer ou beber enquanto estava sob custódia policial.

READ  New York AG busca US$ 370 milhões de Trump após investigação de fraude civil

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *