Japão cai fora da Copa do Mundo Feminina, mas vê melhora no elenco jovem

AUCKLAND, Nova Zelândia (AP) – Depois de uma saída precoce das Olimpíadas há dois anos em casa, os japoneses se reconstruíram, contrataram um novo técnico e focaram na juventude.

O resultado? Japão marcou em massa Copa do Mundo Feminina.

Comandado pelo técnico Futoshi Ikeda, Nadeshiko marcou 15 gols, não liderando nenhum time na competição. O jovem meio-campista prodigioso Hinata Miyazawa marcou cinco gols, igualando o recorde estabelecido pela lenda japonesa Homere Sawa em 2011.

Mas não foi o suficiente para parar a Suécia, que eliminou o Japão da competição Ganhou 2-1 No jogo das quartas de final da noite de sexta-feira. Os jogadores da Suécia comemoraram quando o meio-campista Jun Endo ficou muito tempo em campo e chorou após o apito final.

“Sabíamos que enfrentaríamos um time muito talentoso e técnico”, disse o sueco Kosovare Aslani. “Não queremos que passem muito tempo com a bola, porque é quando estão no seu melhor.”

Amanda Ilstedt marcou um gol no primeiro tempo e Philippa Angel converteu um pênalti no segundo tempo para dar à Suécia uma vantagem de 2 a 0. O Japão não conseguiu quebrá-lo até que Honoka Hayashi marcou aos 86 minutos.

“Gastou-se muito tempo na defesa e foi difícil encontrar nosso próprio ímpeto, e simplesmente não conseguíamos jogar bem no ataque”, disse o atacante Mina Tanaka.

Ikeda disse que a equipe pode se orgulhar de suas conquistas. Depois de vencer a fase de grupos sem marcar, os japoneses venceram a Noruega por 3 a 1 nas oitavas de final.

Sobre tudo, Equipe Japão era jovem, com idade média de apenas 24,9 anos.

“Desde que me tornei treinador, sabia que os levaria ao Mundial e, juntamente com os jogadores, trabalhámos muito para chegar a este ponto”, disse. “Os jogadores se tornaram uma unidade, trabalhando na mesma direção. Criamos um ambiente onde todos os jogadores podem crescer”, afirmou.

READ  Vendas da Tesla se recuperam após fortes cortes de preços

Em 2011, os japoneses derrotaram a Suécia por 3 a 1 nas semifinais e conquistaram o troféu da Copa do Mundo na disputa de pênaltis com os Estados Unidos. Foi um sucesso emocional devido ao devastador terremoto e tsunami que atingiram o Japão no início daquele ano.

O Japão também chegou às finais da Copa do Mundo em 2015, mas caiu por 5–2 para os Estados Unidos.

Antes da Copa do Mundo de 2019, o Japão nomeou Asako Takakura, a primeira técnica feminina a comandar a seleção nacional, mas Nadeshiko caiu para a Holanda nas quartas de final.

Takakura foi substituído por Ikeda, que treinou o Japão na conquista do título da Copa do Mundo Feminina Sub-20 de 2018, após uma derrota por 3 a 1 para a Suécia nos Jogos de Tóquio. Ele ajudou a desenvolver muitos jogadores do time, incluindo Miyazawa.

Endo joga nos Estados Unidos pelo Angel City da National Women’s Soccer League. Nadeshiko disse que agora se classificará para as Olimpíadas de Paris no próximo verão.

“Ainda precisamos melhorar a qualidade”, disse ele.

Ikeda disse esperar que os jovens jogadores aprendam com o fracasso.

“Eles estão experimentando os rigores dos Jogos Mundiais. Eles podem jogar nesses torneios. Eles devem usar isso como experiência para as Olimpíadas e outros atacantes”, disse Ikeda. “Queremos que esses jovens jogadores adicionem força ao time de Nadeshiko.”

___

AP Cobertura da Copa do Mundo: https://apnews.com/hub/fifa-womens-world-cup

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *