O presidente da Namíbia, Hage Zingob, morreu aos 82 anos notícias políticas

O líder africano anunciou no mês passado que iniciou o tratamento contra o cancro.

O presidente da Namíbia, Hage Keingobe, morreu aos 82 anos, informou o seu gabinete, menos de três semanas depois de ter sido anunciado que iria ser submetido a tratamento contra o cancro.

Geenkop morreu no domingo no Hospital Lady Bohamba, na capital Windhoek, acompanhado pela sua esposa e filhos, disse o presidente em exercício, Nangolo Mbumba, num comunicado publicado na página oficial de Keongop no Facebook.

“A nação namibiana perdeu um ilustre funcionário público, um ícone da luta de libertação, o principal arquitecto da nossa constituição e um pilar do lar namibiano”, disse Mbumba.

“Neste momento de profundo pesar, apelo à nação para que permaneça calma e serena enquanto o governo observa todos os arranjos estatais, preparativos e outros protocolos necessários. Novos anúncios serão feitos nesse sentido”, disse ele.

O escritório de Geingob anunciou no mês passado que ele iniciou o tratamento depois que “células cancerígenas” foram descobertas durante uma colonoscopia e gastroscopia de rotina.

O anúncio não forneceu detalhes sobre o diagnóstico ou prognóstico do líder africano, mas disse que ele continuaria a exercer as suas funções presidenciais.

O gabinete de Geingob anunciou mais tarde que ele estava viajando para os Estados Unidos para tratamento médico e que retornaria à Namíbia em 2 de fevereiro.

Geingob, que foi primeiro-ministro durante 12 anos, tinha um historial de problemas de saúde antes de ser eleito o terceiro presidente da Namíbia em 2014.

Em 2013, o ativista anti-apartheid que se tornou político foi submetido a uma cirurgia cerebral e no ano seguinte revelou que tinha sobrevivido ao cancro da próstata.

No ano passado, Geingob anunciou que havia sido submetido a uma cirurgia aórtica na vizinha África do Sul.

READ  Autoridades dizem que um dono de animal de estimação pegou peste bubônica de seu gato em Oregon

A Namíbia, uma antiga colónia alemã que conquistou a independência da África do Sul em 1990, deverá realizar eleições presidenciais e parlamentares em Novembro.

Geingob não é elegível para concorrer à reeleição porque a constituição da Namíbia limita o presidente a um máximo de dois mandatos.

Nandi-Ndaitwah, a candidata presidencial do partido no poder, a SWAPO, seria a primeira mulher chefe de estado do país se fosse eleita.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *