Varzim 1 – 1 Farense

Nuno Capucho voltou a mexer no onze inicial, desta feita com as estreias do defesa Amien, e também da titularidade do cipriota Michalis. No jogo da Taça, em Sacavém, o jogo não lhe correu de feição e acabou subsistituido aos 22m, e no confronto contra o Farense, o intervalo foi a meta atingida. Debaixo de chuva e muito vento, o cenário convidava a estar em casa, mas mesmo assim, os “fiéis” não deixaram de comparecer. Melhores nos instantes iniciais, os alvinegros pecavam por não conseguir dar largura ao seu ataque. Completamente fora de jogo, Michalis nunca foi o extremo que Nuno Capucho pretendia. Haman lutava sozinho e, mesmo assim, esteve muito perto de marcar, num ou dois cruzamentos, tanto de Mário Sérgio como de Jonathan. Contudo faltava qualquer coisa, e os algarvios souberam aproveitar. Primeiro, desperdiçaram uma grande penalidade, com todo o mérito para o guarda redes Emanuel Novo. E, como uma mal nunca vem só, foi num lance infeliz de Nelson Agra, que com um atraso para o seu guarda redes acabou por fazer auto golo, que os algarvios fizeram a festa.
O intervalo chegou em boa hora, até porque o Varzim voltou refrescado com duas caras novas. Stanley e sobretudo Bakaramoto deram mais profundidade e objetividade aos lances de ataque. Os cantos acumulavam-se, e foi num deles que Mário Sérgio cobrou de forma a que o jogador do Farense Borges cabeceou para a sua própria baliza. Faltavam ainda cerca de 15m, mas o anti jogo permitido pelo árbitro foi quebrando o ritmo e a fortuna ( mais uma vez) não esteve do lado dos pupilos de Nuno Capucho.

Seja o primeiro a comentar no "Varzim 1 – 1 Farense"

Deixar um comentário

O seu endereço de correio eletrónico não ficará visível


*